domingo, setembro 17, 2006

  Hoje arrumo a mala, amanhã viajo... para perto, apenas o longe suficiente para prosseguir com o futuro. Arrumo a mala e à sempre mil recordações entre objectos encontrados, eles são as fotos que juramos queimar, os bilhetes de autocarro que prometemos não apanhar, até ao CD de Chopin nas mãos de Maria João Pires que julgava perdido. Encontram-se também as cartas que nos fazem parar, sonhar, lembrar-nos a nós mesmos e já nem nos identificarmos. Encontram-se anéis outrora eternos, encontram-se livros assinados... um passado, ali, naquele quarto, todo o meu passado a ser percorrido. Vêem-me as lágrimas aos olhos entre cartas e papeis com pouco significado... são lágrimas alegres, de esperança! "Quanto coisa à minha volta" - penso. Alegro-me de ter guardado tudo, alegro-me de encontrar um guardanapo com planos de formação de uma sociedade anónima de luta contra qualquer coisa (estava manchada por vinho a ultima parte do papel). encontro um bocado de alumínio queimado na casa do Marquinhos numa das petiscadas gloriosas... Encontro fotos de pessoas que nem reconheço, encontro cadernos de matéria que nem recordo, encontro objectos que nem sei para que servem, encontro roupa que nem sei de quem é... Encontro também as fotos que me fazem sorrir, os cadernos que me fazem recordar, as roupas que prometi não devolver e, mais importante de tudo, encontro as pessoas que ainda estão ao meu lado.
Parto amanhã, as memórias vêem comigo, para longe, para sempre comigo!

Pedro Francisco

Sem comentários: